Conversa de Botequim

Uma visão desfocada da realidade do mundo

Archive for dezembro \04\UTC 2007

Cascavelletes no programa da Angélica

Posted by José Eduardo Coutelle em 4 dezembro, 2007

Nao tenho como descrever. Só vendo. Assistam o vídeo em que os Cascavelletes se apresentam no programa da Angélica…. aquele antigo programa infantil que passava na Rede Manchete. É imperdível. Imagino o sofrimento e desespero do produtor enquanto via o Júpiter Maçã cantando “eu quis comer voce” para milhares de crianças.

Posted in Geral | 1 Comment »

Indecisão

Posted by José Eduardo Coutelle em 4 dezembro, 2007

Sou um cara extremamente indeciso. É comum eu ir nas vídeolocadoras e ficar horas lá dentro. Olho todos os DVDs, e acabo saindo sem nenhum. Isso tudo por indecisão. Sempre tive essa qualidade, que para mim é mais um defeito. O problema é que minha indecisão se dá com tudo daquilo que eu não domino ou desconheço.

Continue lendo »

Posted in Cronica, Literatura | 1 Comment »

Bancos da Av. Mauá

Posted by José Eduardo Coutelle em 3 dezembro, 2007

Tenho de escrever uma crônica. Mas também tenho de ir à biblioteca e ir ao banheiro. O professor mal acabou da passar os princípios básicos desse novo estilo de escrita e já exige um primeiro trabalho autoral. Sem pensar mais, pego meus dois livros a serem devolvidos e me desloco em direção à biblioteca. Saio correndo. Não olho para ninguém para não ter de cumprimentar. Meu tempo é curto. Tento pensar em algo legal para escrever, mas nada me vem à cabeça.

Continue lendo »

Posted in Cronica, Literatura | 1 Comment »

As irmãs Unemot(ion)

Posted by José Eduardo Coutelle em 3 dezembro, 2007

Tenho pena de um amigo meu. O cara é gente finíssima. Possui um ótimo coração. Bom demais para complementar. Contudo a sua principal virtude é ao mesmo tempo sua maior fraqueza: ele é do tipo sentimental. Se envolve muito fácil com as mulheres. Sem perceber ele só consegue pensar nelas, fica apaixonado. Isso não seria um problema caso ele conhecesse pessoas de igual virtude. A verdade é que ele tem uma tara por mulheres fáceis, aquelas que não têm coração nem sentimento; que só querem um pouco de prazer e depois mais nada.

Continue lendo »

Posted in Cronica, Literatura | Leave a Comment »